Tudo o que você precisa saber sobre o Gayatri Mantra

O Grupo Alimento dos Deuses explica tudo o que você precisa saber sobre o Gayatri (gāyatrī) Mantra

Se você quer receber o arquivo desta versão cantada pelo grupo Alimento dos Deuses deixe seu e-mail nos comentários

O grupo Alimentos dos Deuses nasceu a partir da amizade de quatro artistas nada convencionais!! Encontros incomuns que aconteceram na cidade de Uberlândia e acabaram resultando em uma explosão de potencialidades. Pela multiplicidade do coletivo construíram um quarteto musical que mistura, interpretação gestual, mudras, dança e atuação performática:

Violão e voz por Don Secoia / Violino por Gustavo Dias / Flautas, percussão e voz por Tiago Abreu / Voz e dança por Carol Vaz

Todas as vozes cantam juntas, se encontram no centro, hora passam pelas extremidades, hora voltam pro meio, soam o tempo e sopram com o vento! Uma aspiração! Uma inspiração! Um verdadeiro elixir dos Deuses! 

  • APRENDA A ENTOAR (CANTAR ESTE MANTRA):

Gayatri (gāyatrī) Mantra

​ॐ भूर्भुवः स्वः । तत्सवितुर्वरेण्यं । तत्सवितुर्वरेण्यं । धियो यो नः प्रचोदयात् ॥

​​Oṃ bhūr bhuvaḥ svaḥ

tát savitúr

váreṇyaṃ

bhárgo devásya dhīmahi

dhíyo yó naḥ

prachodáyāt

  • Tradução do mantra:

“Meditamos na glória do ser Infinito, onipotente, onisciente e onipresente que é a causa deste universo, de onde todos surgem e para onde todos retornam, abençoa-me com a compreensão correta e clareza de pensamento para nos elevar em direção à realidade suprema.”

O Mantra Gayatri (gāyatrī) é recitado como invocação ou oração para a divindade suprema para elevar nossa consciência

  • ​Significado palavra por palavra:

Gayatri (gāyatrī) = Personificação da deusa, esposa de brahma, mãe dos quatro vedas

mantra = instrumento de pensamento, fala sagrada

om = silaba sagrada que inicia orações

bhur = terra (plano físico)

bhuvah = atmosfera (plano mental)

svah = céus, plano celestial (plano espiritual)

tat = aquilo

savitu = o sol, pertencente ou relacionado ao sol

varenyam = excelente, desejável, o melhor

bharga = brilho, esplendor, radiância

devasya = de efulgência divina

dhimahi = meditamos em

dhiya = compreensão

yah = que

nah = nosso

pracodayat = que deve ir adiante, proporcionar

  • O que é Mantra e o que é Sânscrito?

​Os mantras são objetos de meditação para desabrochar a consciência, usando o poder das vibrações das ondas sonoras para criar respostas energéticas específicas no corpo e na mente.

Os Mantras que gravamos em nosso primeiro disco do grupo Alimento dos Deuses estão em sânscrito (संस्कृतम्), uma língua sacra em extinção, a linguagem litúrgica primordial tanto para o hinduísmo e o budismo.

O sânscrito carrega a essência do objeto ou qualidade que descreve.

É o próprio som que equivale-se à manifestação.

​Em Sânscrito, man quer dizer mente e tra, libertar-se de.

Então mantra é literalmente uma ferramenta para libertar a mente.

​Tradicionalmente, os mantras são entoados em ciclos de 3, 7, 21,108 repetições, para isso são usados japamalas, para ajudar na contagem das repetições.

Quanto mais entoamos uma vibração sonora em particular, mais nos afinamos conforme aquela vibração. (Informações extraídas do site: www.alimentodosdeuses.com)

  •  Mas como entoar um Mantra?

A minha sugestão para o estudo desse mantra é que antes você passe um tempo em silêncio, aquietando seus pensamentos, focando em sua respiração e concentrando-se em seus chakras, e então entoe o mantra.” diz Carol Vaz, membro do grupo Alimento dos Deuses.

De preferência -> 3x ao nascer do sol, antes de iniciar as atividades diárias e 3x ao por do sol.

 A recitação correta do Gayatri (todos os dias e com a mente focada em Deus) é um poderoso sadhana (disciplina espiritual) para trazer equilíbrio pois a vibração do som penetra os chakras ativando-os, fazendo-os voltar a rodar em um fluxo saudável gerando também um bom funcionamento dos nossos órgãos físicos, inclusive do cérebro. Enfim teremos tranquilidade em nossa mente!

É necessário um tempo adequado de prática real e disciplina para que esses efeitos apareçam na vida do sadhaka (praticante) 

  • Mas o que são os chakras e como, efetivamente, o som cantado pode influenciar no funcionamento deles?

Os chakras são agrupamentos circulares equiparados aos nossos órgãos só que feitos de um material mais etéreo, têm como finalidade catalisar energias vitais para os plexos orgânicos, para os órgãos de carne. São catalizadores de vibrações, por isso a entoação dos mantras afetam os chakras, ativando-os.

O bom funcionamento dos chakras é essencial para nós termos uma boa saúde, com todos os órgãos recebendo a energia vital necessária tudo em nosso corpo se harmoniza. E felizmente existem vários tratamentos para cuidar dos nossos tão complexos chakras.

  •  Conheça os integrantes do grupo Alimento dos Deuses:

“Dom Secoia” Christhian Beschizza é Doutorando em Educação pela UNIUBE (2018-), Mestre (2015-2017) e Bacharel (2011-2015) em Música pela Universidade Federal de Uberlândia. Licenciado em Música pelo Centro Universitário Claretiano (2018). Instrutor de Mindfulness e Yoga certificado pelo Lama Jigme Lhawang do Instituto de Ciência Contemplativa (2019). Sua produção acadêmica é direcionada ao ensino interdisciplinar do compositor barroco Johann Sebastian Bach e a técnica de transcrição de sua obra para o violão. Seu trabalho pedagógico como professor regente de aulas inclui o ensino de cordas dedilhadas nos conservatórios de Uberaba (2017) e Uberlândia (2018). Seu trabalho artístico consiste na produção de recitais para interpretação de suas transcrições para o violão de sete e treze cordas e gerenciamento do quarteto performático e pela Fundação Alimento dos Deuses.  Além disso, é responsável pelo estúdio Soh Lazer Records, onde trabalha com a gravação e produção audiovisual – tanto de seu grupo quanto de outros artistas – e seus próprios arranjos de música erudita para violão solo. É responsável pela Fundação Alimento dos Deuses, que oferece sessões de musicoterapia contemplativa, cursos de música, yoga e meditação, atuando nas cidades de Uberlândia e Uberaba.

“Shantalla” Carol Vaz

É bacharel em Dança Contemporânea pela UFU – MG (2011 – 2017). Sua pesquisa acadêmica foi direcionada ao estudo do Sistema Laban de Análise do Movimento do Mestre Rudolf Von Laban, aprofundou-se também nas técnica de Improvisação&ComposiçãoEmTempoReal (StevePaxton),  Cinesiologia Estrutural do corpo humano (Dr. Thompson Floyd). Investiga a interface entre os temas: corpo/performance/filosofia, com ênfase nas obras de Gilles Deleuze  e Félix Guattari, Michel Foucalt,  Klaus Vianna. Atualmente investiga a Dança Indiana, os efeitos das mudras e dos diferentes tipos de respiração para se obter expansão da consciência. É professora de Dança Meditativa (método adaptado), de consciência corporal & auto percepção. Desde 2013 estuda os estados não ordinários de consciência (ENOC) e investiga maneiras de se chegar a um estado de transe através da dança e do movimento do corpo.

Em 2017 foi contemplada pela Lei de Incentivo à Cultura (PMIC) do Município de Uberlândia, com o projeto Raiz de luz: outras perspectivas sobre vídeodança, resultando em um vídeo performático “A experiência do Renascimento” (2018)

“Everton” Gustavo Dias iniciou sua formação musical como violinista aos 14 anos no projeto Orquestra Jovem de Uberlândia e conservatório Cora Pavan Capareli.  Atualmente graduando do curso de bacharelado em música, na Universidade Federal de Uberlândia sob a orientação do professor Dr. Mábio Duarte. Sua atuação artística é diversificada, atua tanto como participante em gravações e shows de bandas populares em Uberlândia como também é violinista concursado na Orquestra Municipal de Uberaba. Seu envolvimento com a música indiana se deu através do contato com os Mantras e os Ragas, que o inspiraram a desenvolver-se no temperamento do violino indiano e iniciar seus estudos na tampura como integrante do grupo performático Alimento dos Deuses.

“Steveru” Tiago Abreu é compositor e poeta. Mestrando em Música, Graduado em Letras e Graduando em Música (flauta doce) pela UFU. Desde 2008 dedica-se ao estudo da música de cura, realizando rodas de canto coletivo, oficinas de vocalização e performances cênico-musicais em espaços terapêuticos. Em 2016 foi contemplado pela Lei de Incentivo à Cultura (PMIC) do Município de Uberlândia, com o projeto “Emanações”, resultando na publicação do Livro autoral “Maná” (2016)

Alimento Dos Deuses

O encontro de quatro artistas

Um impulso em comum

 Potencialidades latentes

Um salto para o exterior das percepções

 Um giro para o interior das existências

 As graças descem!

Os braços sobem

As mãos se unem em sinal de extrema gratidão!

 Agradeço a existência!

Agradeço a consciência!

Agradeço a totalidade!

Gravação do clip, feita em Uberlândia no espaço Solar dos Pássaros em parceria com o Livre Ser e a Semana Internacional do Yoga.

Texto por Carol Vaz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *